Memepédia Wiki
Advertisement

Imagem compiladas do vídeo do surubão do Dória.

O Video do suposto surubão de Dória com várias mulheres seria uma possível montagem de Vídeo de Suruba de Dória com cinco mulheres trata-se de um vídeo editado em que envolve o governador de SP João Dória (na época do vídeo fake, era apenas um candidato) numa "sacanagem" (mais especificamente,numa orgia) com mais cinco mulheres e todos envolvidos na gravação editada completamente pelados.

Sobre o vídeo

Segundo consta, o vídeo montado com conteúdo explicito repercutiu na Internet na terça feira do dia 23 de outubro de 2018 á exatamente 4 dias das eleições estaduais em SP e o que fez o nome do candidato João Dória ser comentado mais de 125 mil vezes pelo menos durante a semana em que foi postado.

Mas por que o vídeo é montado?

Segundo perito e especialistas no assunto, as imagens do vídeos foram manipuladas, pois através de um software utilizado pra este tipo de manipulação possui até uma tecnologia em que é possível inserir a cara do na época candidato João Dória na face do homem que estava naquela orgia filmada,sem contar também o fato do rosto não se movimentar para os lados enquanto inserido como uma mascará. Segundo o laudo da perícia que fez analise (a mesma encomendada pela Revista Veja) sobre o vídeo e a concluiu foi possível notar:

  • As imagens sofreram interpolações sequenciais na linha do tempo de exposição, o que caracteriza fraude imagética;
  • O vídeo objeto da análise apresenta máscaras sobrepostas sobre o rosto de outra pessoa, visualizando-se ainda movimentos disruptivos de pescoço, posicionamento ocular e montagens abruptas durante a passagem dos frames;
  • Observou-se ainda mudança de contraste e nitidez sutil na iluminação do cenário;
  • Anatomicamente, percebe-se uma mudança na sombra do arco orbital do personagem do sexo masculino, bem como no depressor da porção esquerda do lábio da referida pessoa;
  • A análise ainda revelou que, o flanco esquerdo do rosto do homem, mais especificamente na região labial, apresenta discrepância quanto a sua estaticidade, mostrando-se uma dinâmica artificial;
  • Observou-se na sequência em apreço uma derivação ocular do personagem na cena de movimento, o que evidencia manipulação de filtros específicos para reconstrução do rosto;
  • Foram constatados também curvas e granulados pesados na estética do vídeo, bem como manipulação do cenário no que se refere à iluminação para que esta minimize a possibilidade de constatação das alterações introduzidas e do posicionamento da câmera e do personagem do sexo masculino.

E ainda com tudo isso nos detalhes acima, o autor desconhecido deste vídeo montado tosco cujo sua identidade não foi descoberta ou revelada (vai,saber!) não se preocupou nem se quer em fazer uma montagem bem feita pra ao menos tentar encobrir estes pontos observados pela perícia; seja porque usou um software do vagabundo, não sabe (ou não soube) fazer uma manipulação maior ou talvez não exista uma tecnologia tão perfeita a ponto de parecer bem uma gravação real.

A quem acredite que o vídeo não seja real (o outro lado)

Dias depois um outro perito, Onias Tavares de Aguiar da policia criminal contrariou o laudo encomendado pela Veja afirmando que, como metodologia, extraiu todos os frames do vídeo, ampliando e aplicando técnicas de software para ressaltar os pontos de interesse pericia. “O vídeo pode ser dividido em 603 frames (quadros) e considerando tratar de vídeo na velocidade de 30 frames/s, o que equivale ao tempo de 20,1 segundos de tempo de duração”, explicou. Sobre a câmera utilizada, Onias afirmou que se trata de aparelho com características amadoras, fixado sobre algum móvel e direcionado para a cama no qual se desenrola a maioria das cenas. “As pessoas gravadas agem naturalmente sem preocupações, com a câmera indicando não ter o conhecimento de estarem sendo gravados”, indicou o perito. “Conclui-se que o vídeo não foi adulterado e nem alvo de qualquer manipulação. É um vídeo autêntico, onde ressaltamos tratar-se de um trecho de 20 segundos de um vídeo maior, o qual não foi apresentado para análise”, observou Onias. Segundo os resultados da análise feitas por Onias:

  • As imagens não sofreram quaisquer interpolações sequenciais na linha de tempo.
  • Ainda que se verifiquem algumas duplicações de imagens, estas não são naturais dos algoritmos de compressão de dados e não configuram fraudes. Como demonstrado no corpo do laudo, tais duplicações aparecem tanto nas imagens em que o rosto do personagem masculino está exposto quanto nas imagens em que o personagem está encoberto pela presença de alguma mulher.
  • Foram constatadas mudanças de contraste e nitidez que também não configuram fraude. Trata-se de vídeo de baixa qualidade gravado na presença de diversas fontes de luzes (direta e indiretas).
  • Considerando que as mulheres estavam sempre em movimento, qualquer passagem delas entre alguma fonte de luz e objeto focado ocasiona mudança de contraste.
  • Foram constatadas granulações de imagens, sendo comum em qualquer vídeo amador e de baixa qualidade e sem qualquer outro tratamento.

As possíveis motivações por traz do vídeo (independente de ser fake ou não)

  • Acredita-se (embora sem provas concretas) que o Márcio França (candidato a governador do PSB as eleições de 2018 e concorrente de Dória no segundo turno) possa estar envolvido nessa palhaçada toda podendo inclusive, ter pago profissionais para fazer uma montagem de vídeo com intuito de difamar o adversário e se eleger governador do estado.
  • Existe também a possibilidade do próprio Dória ter criado este vídeo fake o até mesmo se acaso for verdadeiro, participado daquela orgia gravada no vídeo como uma forma de se beneficiar ainda mais e inclusive com o apoio da revista Veja a qual supostamente tenha contratado em conjunto do candidato peritos pagos para afirmarem ter manipulação na gravação do surubão (que até rima, não é?) no intuito de que os seus eleitores dê credibilidade disso tudo ter sido uma armação pra prejudicar a sua campanha e conseguir se eleger governador do estado. Embora esta sendo apenas uma especulação, de qualquer modo João Dória foi eleito (sendo entorno deste vídeo ou não) alguns podendo crer outros não do fato desta gravação ter influenciado nas eleições estaduais de SP em 2018.
Advertisement